Vítor Pereira enaltece espírito e qualidade do Corinthians para buscar virada em cima do Atlético-MG

O técnico Vítor Pereira enalteceu a postura aguerrida do Corinthians na vitória de virada sobre o Atlético-MG na noite deste domingo, no Mineirão, no fechamento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Timão manteve-se na segunda colocação, a quatro pontos do líder Palmeiras, que também venceu na rodada. “Jogo difícil, não é […]

Vítor Pereira enaltece espírito e qualidade do Corinthians para buscar virada em cima do Atlético-MG


O técnico Vítor Pereira enalteceu a postura aguerrida do Corinthians na vitória de virada sobre o Atlético-MG na noite deste domingo, no Mineirão, no fechamento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Timão manteve-se na segunda colocação, a quatro pontos do líder Palmeiras, que também venceu na rodada.
“Jogo difícil, não é fácil chegar aqui e jogar contra o Atlético-MG. Foi um belíssimo gol, primeira vez que eles deram um chute. Depois, tivemos que nos encontrar no jogo. Perdemos um pouco do equilíbrio, essencialmente emocional, mas fomos entrando outra vez no jogo, com qualidade, em um gramado que não dá para ter grande primor técnico, o gramado não está grande coisa no momento, mas conseguimos no espírito, com a qualidade, mas conseguimos um resultado, ganhamos o jogo”, iniciou o comandante em coletiva de imprensa após o triunfo.
Ele também falou sobre as estratégias para parar os jogadores adversários, como Keno, autor de um golaço no primeiro tempo, e Hulk. E também falou sobre as jogadas que originaram os gols do Corinthians.
“Duas grandes equipes, muito bons jogadores em campo. Nós, quando estudamos o adversário, sabemos as características do Keno, que ele iria para dentro, que atirava do pé direito, o Hulk também, com o pé esquerdo. Sabíamos que tínhamos que parar esses jogadores, com chute forte. Na do Keno não conseguimos e ele fez um belo gol. Depois tivemos um belíssimo gol, em cruzamento do Fagner, e o Fábio apareceu ali como um centroavante, fez um belíssimo gol. Depois o Giovane, menino que entrou, cheio de vontade, não tem amarras táticas, vai para cima, taticamente ainda tem irreverência da idade, foi para cima e acabou por conseguir a penalidade. E o jogo resume-se a isso”, complementou.
Vítor Pereira também enalteceu o trabalho feito na equipe durante esses primeiros meses de trabalho, relembrando os momentos difíceis sem uma série de jogadores por lesão.
“Nós tivemos momentos em que tivemos dez jogadores fora, existiram muitos jogos que, para se fazer uma equipe, era meio de sobrevivência, era tentar estrategicamente um gol contra o adversário. Fomos durante muitos jogos uma equipe mais resultadista, mas que garantiu as fontes para apresentar hoje um futebol de mais qualidade. Agora temos soluções de qualidade, muita gente estava de fora. Podíamos ter ficado a uma distância grande das equipes da frente nesse primeiro turno, mas não, continuamos lá no meio da luta e agora jogo com mais argumentos para dar resposta. Temos jogo da Copa (do Brasil), muito importante para nós, e verei quais os jogadores que estarão em condições de jogar”, finalizou.
O próximo compromisso do Corinthians no Brasileirão será apenas no sábado, contra o Botafogo, na Arena, às 19h (de Brasília). Antes, porém, visita o Atlético-GO, no Antônio Accioly, na quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), pela ida das quartas de final da Copa do Brasil.
Veja outros trechos da coletiva de Vítor Pereira:
Carlos Miguel e Balbuena
“Normalmente fujo um pouco da análise individual, porque posso me esquecer dos outros. Mas o Balbuena fez um belíssimo jogo, o Bruno Méndez também. Para mim, tiveram um nível muito alto. O Carlos Miguel, hoje, foi Carlão, porque tem uma envergadura enorme, ocupa todo o gol, é rápido, isso não é fácil encontrar. Personalidade. Em termos de treino, já tinha visto que tinha qualidade, faltava ver a personalidade. Num jogo desses não é fácil, mas ele, tranquilo da vida, ele, depois do aquecimento disse ‘tô tranquilo’, e realmente ele fez um jogo de tranquilidade que precisávamos”.
Cássio
“O Cássio estava com um problema do jogo anterior, portanto, nós, no jogo que passou, em casa, pensávamos que tinha sido uma coisa pequena e passageira, mas inflamou mais um pouco depois do jogo. Com essas eliminatórias que temos para a frente, não queríamos arriscar. Não sei se ele já estará em condições de disputar o próximo jogo”.
Ramiro e Mateus Vital
“Eu não conhecia esses jogadores. Têm treinado conosco, treinado bem, e agora vamos ver como vai ficar a composição do elenco e, depois, tomaremos decisões conjuntas, eu, o estafe, a direção do clube. Ainda é prematuro, preciso perceber como ficará o elenco para as competições restantes”.

Deixe seu comentário



Matéria Origial