Seleção feminina encerra preparação para encarar o Uruguai e Pia projeta duelo

A Seleção Brasileira feminina já está com tudo pronto para encarar o Uruguai, às 18h (de Brasília) desta terça-feira, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa América. Na tarde desta segunda, a treinadora Pia Sundhage comandou as atividades e, em seguida, concedeu entrevista coletiva. Dos treinos do dia, não participaram apenas as atletas […]

Seleção feminina encerra preparação para encarar o Uruguai e Pia projeta duelo


A Seleção Brasileira feminina já está com tudo pronto para encarar o Uruguai, às 18h (de Brasília) desta terça-feira, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa América. Na tarde desta segunda, a treinadora Pia Sundhage comandou as atividades e, em seguida, concedeu entrevista coletiva.
Dos treinos do dia, não participaram apenas as atletas Adriana, Ary Borges e Debinha, que ficaram no hotel fazendo atividades físicas e regenerativas. O restante do elenco, porém, trabalhou normalmente no gramado do Estádio Centenário, em Armênia, na Colômbia.
A primeira etapa da atividade foi de aquecimento comandado pelo preparador Fábio Guerreiro. Em seguida, as jogadoras ouviram orientações para bolas longas vindas das zagueiras e da goleira. Depois, um trabalho coletivo de 11 contra 11 em campo reduzido e, para finalizar, ensaios de jogadas ofensivas em cobranças de escanteio.
Após o término do treino, Pia Sundhage, em coletiva de imprensa, falou sobre o que espera do confronto com o Uruguai. Para a sueca, a partida será diferente da vitória por 4 a 0 sobre a arquirrival Argentina, na estreia da Copa América.
“O Uruguai é um adversário bem diferente da Argentina e nós precisamos estar preparadas para lidar com suas características de ataque. Será um jogo duro, com muitas batalhas pela bola, então, o mais importante é jogar de modo a sair da pressão. Movimentar a bola, estar atento ao ângulo quando você tiver a posse. Será difícil e teremos de ser pacientes porque o jogo tem dois tempos de 45 minutos e, desde que a gente consiga se movimentar sem a bola, nós criaremos chances e seremos sólidas na defesa também”, contou
“Estivemos compactas e pacientes contra a Argentina em vários momentos, mas podemos nos manter desta forma por mais tempo. Quero que cheguemos mais à área e mantenhamos mais a posse. Estreias são sempre estreias, e, contra um adversário qualificado, marcamos quatro gols e estou impressionada com isso, nos dá mais confiança. O Uruguai é muito diferente e, em relação à compactação, acho que será melhor e também é importante ter paciência, movimentar com e sem a bola. Se fizermos isso, manteremos a posse e chegaremos mais ao último terço. Demos o primeiro passo, agora é nos preparar para os próximos”, acrescentou a treinadora.
 
Deixe seu comentário



Matéria Origial