Lira se manifesta e defende sistema eleitoral 9 dias após ataques de Bolsonaro Por Reuters

© Reuters. Presidente da Câmara, Arthur Lira, cumprimenta presidente Jair Bolsonaro em convenção do PP 27/07/2022 REUTERS/Adriano Machado BRASÍLIA (Reuters) – Depois de mais de uma semana em silêncio após os ataques do presidente Jair Bolsonaro ao sistema eleitoral em reunião com embaixadores, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu se manifestar em defesa […]

Lira se manifesta e defende sistema eleitoral 9 dias após ataques de Bolsonaro Por Reuters



© Reuters. Presidente da Câmara, Arthur Lira, cumprimenta presidente Jair Bolsonaro em convenção do PP
27/07/2022
REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) – Depois de mais de uma semana em silêncio após os ataques do presidente Jair Bolsonaro ao sistema eleitoral em reunião com embaixadores, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), decidiu se manifestar em defesa da democracia nesta quarta-feira e, em frente a Bolsonaro, disse confiar no processo eleitoral brasileiro.
“A Câmara dos Deputados fala quando é necessário falar, não quando querem obrigá-la a falar. Eu dei mais de 20 mensagens mundo afora e internas no Brasil de que sempre fui a favor da democracia e de eleições transparentes e de que confio no sistema eleitoral”, disse Lira em discurso durante convenção do PP, em que foi confirmado o apoio do partido à candidatura de Bolsonaro à reeleição.
O presidente da Câmara foi repetidamente cobrado por não ter se manifestado depois de reunião de Bolsonaro com embaixadores em que o presidente reiterou ataques infundados ao processo eleitoral brasileiro e levantou suspeitas já desacreditadas de fraudes em eleições passadas. As falas de Bolsonaro não foram novas, mas o público –embaixadores de mais de 40 países– fez com que a reação fosse a mais veemente até então.

Presidentes dos demais Poderes criticaram a conduta do presidente, assim como mais de 80 instituições, incluindo servidores de carreira de Estado, incluindo procuradores. As embaixadas do Reino Unido e dos Estados Unidos também soltaram notas em defesa do sistema eleitoral brasileiro. Lira foi uma exceção.
“Instituições no Brasil são fortes, são perenes e não são, nunca serão, redes sociais. Não podemos banalizar as palavras das autoridades no Brasil. Não farão isso com a Câmara dos Deputados enquanto eu for presidente”, afirmou.
 
(Reportagem de Lisandra Paraguassu)



Matéria Origial