Brasil x Espanha: Jardine detalha final em Tóquio

Há exatamente um ano, em 7 de agosto de 2021, a Seleção Brasileira comandada por André Jardine ganhou da Espanha por 2 a 1 e conquistou o bicampeonato olímpico no Japão. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, o treinador relembrou os detalhes da decisão e comentou sobre a qualidade do adversário. “Foi um jogaço. Com […]

Brasil x Espanha: Jardine detalha final em Tóquio



Há exatamente um ano, em 7 de agosto de 2021, a Seleção Brasileira comandada por André Jardine ganhou da Espanha por 2 a 1 e conquistou o bicampeonato olímpico no Japão. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, o treinador relembrou os detalhes da decisão e comentou sobre a qualidade do adversário.
“Foi um jogaço. Com certeza, para mim, as duas melhores da competição. A Espanha, com praticamente uma seleção principal, tem uma geração especial, muito forte, assim como a nossa. Foi uma final com cara de jogo de seleção principal”, afirmou o comandante.
A equipe treinada por Luis de la Fuente contava com diversos jovens que, nos meses seguintes, ganharam ainda mais protagonismo. O goleiro Unai Simón, por exemplo, foi titular da seleção espanhola principal nas últimas partidas da Liga das Nações. Já o lateral esquerdo Marc Cucurella deixou o Brighton recentemente e assinou com o Chelsea. No meio de campo, Pedri se tornou um dos principais nomes do Barcelona e foi eleito o Golden Boy de 2021. Por fim, no ataque, Marco Asensio registrou seis temporadas no Real Madrid.
Na disputa pelo ouro olímpico, Richarlison perdeu pênalti aos 38, mas o Brasil, com Matheus Cunha, balançou as redes nove minutos mais tarde e foi para o intervalo com vantagem. Já aos 16 do segundo tempo, Mikel Oyarzabal garantiu o empate da Espanha, que cresceu “moral e animicamente”, segundo Jardine. O treinador também ressaltou a importância dos brasileiros que entraram já na prorrogação – em especial Malcom, que anotou o gol decisivo já aos três minutos da segunda etapa complementar.
“Conseguimos dar uma equilibrada e trazemos o jogo para nós. O pessoal que entra, especialmente o Malcom, vai muito bem, consegue fazer o gol do título, que coroa um trabalho exemplar nosso. Acho que a gente não merecia sair com outro resultado, pela qualidade dos jogadores, do trabalho e do planejamento que a CBF fez em torno desse projeto olímpico. Foi a realização de um sonho”, explicou o técnico.
Malcom celebra o gol decisivo pelo Brasil (Foto: Divulgação/Lucas Figueiredo)
Por fim, André Jardine ainda falou sobre um gosto especial pela conquista, ocorrida no Estádio Internacional de Yokohama. O local foi palco do pentacampeonato mundial brasileiro de 2002, com dois gols de Ronaldo na final contra a Alemanha.
“Falamos sobre isso na preleção. O Japão, em si, traz boas lembranças. A gente percebe o carinho que o povo japonês tem pela Seleção Brasileira. A gente se sentiu em casa e, sem dúvidas, com boas vibrações”, finalizou Jardine.
Deixe seu comentário



Matéria Origial